Archives

All posts for the month September, 2011

GUIA PARA CANDIDATOS AOS INFERNOS XIII – Candidatos Sedutores

De pedra cor de ferro, este Círculo Oitavo, lar seguro e garantidoDos artistas do crime e da política,Será também, um dia, domicílioDa nossa eternidade relativa. Ninguém de aspecto humano, ao que supomos,Envelhece por gosto. Nós menos queNinguém. Mas somos sedutores? Ou só Nos desejamos sedutores e somos Uns pobres seduzidos por aquelas,Aqueles, que julgámos seduzir. Temos as qualidades dos defeitos.Jasão foi um dos nossos. Falava bemE mentia melhor. Bem parecido, Por detrás da cabeça, mal escondido,Tinha um longo intestino retorcido. …

GUIA PARA CANDIDATOS AOS INFERNOS XII – Candidatos Hereges

Ser herege é ter de escolher, custe o que custar.Não pensamos o que querem obrigar-nos a pensar,Não fazemos o que esperam obrigar-nos a fazer.Mas quem escreveria hoje Os Heróicos Furores?Quem enfrentaria a fogueira do Campo dei FioriComo o homem de Nola? Quem estaria disposto A ser representado de olhos esbugalhados, cara De pernas para o ar e orelhas no pescoço monstruoso? Quem estaria pronto a morrer como Julião ainda jovem? Quem correria hoje o risco de ser morto como um cão,Na prisão, num descampado, numa esquina anónima? Sabemos que a mesa mais venenosa é a Mesa Censória, Aquela que usa o seu poder para definir o que é háiresis,Tentação diabólica, coisa de orgulhosos e heterodoxos. A fossa do sexto círculo é melhor e mais espaçosaQue a estreiteza dos Bempenteadinhos que decidem Quem é herético ou herética: os que ardem depressa….

GUIA PARA CANDIDATOS AOS INFERNOS XI – Aduladores

Nós, os aduladores, adulamos por gosto.Para nós, nada mais delicioso que adular Gente famosa, poderosa, gente de posses, Gente que nos ouça e olhe e lá de cima Um dia, em público, nos ajude e elogie,Gente que nos defenda se for preciso,Gente que nos convide para o seu convívio,Gente que nos consiga a condecoraçãozinha, A sinecura, o título, o lugar político,O prémio (merecido ou imerecido).Adoramos os céus da fama, os amarelos Do ouro, do prestígio, da conta na Suiça. As metades das nossas caras de fugirSão a noite e o dia. Sob os nossos melhor sorrisosEscondemos focinhos grossos, de porcos bulldog.Chafurdamos no esterco, no lixo. Se nos descobrem, Assobiamos para os lados e disfarçamos, sorrindo. …